sexta-feira, 9 de junho de 2017

Criança de 1 ano morre após médica de ambulância não prestar socorro, no Rio



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: JORNAL EXTRA Imagem: Divulgação


Uma criança de um 1 e 7 meses, que sofria de uma doença neurológica, morreu na manhã desta quarta-feira depois de não receber atendimento da médica acionada para ajudá-la. A profissional da saúde chegou com a ambulância no condomínio da família, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, mas foi embora sem subir ao apartamento para prestar socorro.
Em um vídeo gravado por uma câmera interna, é possível vê-la rasgando um documento, antes de a ambulância ir embora do prédio, às 9h13. Breno Rodrigues Duarte da Silva morreu esperando outro socorro. Segundo a família, funcionários do condomínio ouviram a médica gritar que tinha passado de seu horário de trabalho.
- Agora vou viver com esse 'se' para o resto da minha vida: se ela tivesse levado será que o meu filho estaria vivo? Ele morreu 1h30 depois. Dava tempo de levá-lo ao hospital. É desumano. Abri mão da minha vida para cuidar do meu filho, que era especial, e agora não tenho mais o meu Breno. Ela negou socorro - lamenta Rhuana Lopes Rodrigues, mãe do menino, que sofria de epilepsia de difícil controle.
Segundo Rhuana, que está grávida de três meses, desde julho de 2016 Breno estava sendo atendido em casa, por meio do sistema "Home Care". Rhuana conta que o filho começou a sentir mal do estômago e precisou de atendimento. Ela ligou para a médica que sempre atende a criança e ela orientou a acionar a ambulância pela Unimed e internar o Breno.
- Fiz de tudo para tentar socorrer o meu filho, mas houve omissão médica. Estamos abalados com tudo o que aconteceu - lamentou. A família registrou o caso na 16ª DP (Barra da Tijuca).
Em nota, a Unimed-Rio lamenta o falecimento do pequeno e explica que a ambulância pertence à Cuidar Emergências Médicas, que presta serviços para o plano de saúde. Veja a nota na íntegra:
"A Unimed-Rio lamenta profundamente o falecimento do pequeno Breno Rodrigues Duarte da Silva na manhã desta quarta-feira, 7/6 e vem prestando apoio irrestrito à família nesse momento tão difícil. A cooperativa tomará todas as providências para descredenciar imediatamente o prestador 'Cuidar', pela postura inadmissível no atendimento prestado à criança. Além disso, adotará todas as medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis em razão da recusa de atendimento por parte do prestador de serviço".
Empresa diz que medidas serão tomadas
Segundo uma diretora da Cuidar, que pediu para não ter seu nome publicado, a médica já está na empresa há dois anos e nunca apresentou problemas. Ela garante que a empresa tomará as providencias cabíveis.
- Fomos acionados para atendimento de uma criança neuropata, com queixa de gastroenterite. Imediatamente a Central buscou uma unidade mais próxima para fazer o atendimento. Perto da casa do paciente, havia uma unidade que seguia para um atendimento no mesmo bairro. Ao chegar na porta do condomínio, a medica da unidade de recusou a fazer o atendimento. Já convocamos a nossa comissão de ética para ouvir a profissional sobre o ocorrido e tomaremos as providencias cabíveis.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário